Notícias e Variedades de Macaé
Início » Vida » Revista » Cavaleiros, a nova via do comércio

Cavaleiros, a nova via do comércio

qui, 09/10/2014 - 13:23 -- Leila Pinho
Créditos: 
Gianini Coelho
litoral de Macaé praia dos Cavaleiros

Se o programa é pegar um sol no fim de semana em Macaé, a Praia dos Cavaleiros, certamente, será uma das opções cogitadas. E se o desejo for sair para comer algo, na orla, não faltam bons restaurantes para isso. O lugar, que já é o destino natural para diversas atividades de lazer, tem se tornado também a rota preferencial de pessoas que precisam consumir produtos e serviços em Macaé e buscam alternativa fora do centro da cidade, cada vez mais congestionado. O comércio no bairro está crescendo de forma expressiva e atraindo consumidores e empresários que veem a facilidade de acesso à localidade como um grande valor.

Não é pra menos. Situado em ponto estratégico de Macaé, o bairro faz fronteira com uma das principais vias da cidade (Rodovia Amaral Peixoto), próximo a outras importantes como a Linha Verde e a Av. Prefeito Aristeu Ferreira da Silva, perto do polo industrial do Parque de Tubos e também dos bairros do eixo sul que concentram a população de maior poder aquisitivo.

Atualmente, há 446 estabelecimentos comerciais e de serviços nos Cavaleiros, de acordo com dados fornecidos pela Secretaria Municipal de Fazenda, por intermédio do coordenador geral de posturas do município, Mauro Pinho. Os números revelam que, desde 1990, houve aumento considerável de abertura de novas empresas (veja quadro). Se, de 2000 a 2009, 199 estabelecimentos foram abertos, os números dos últimos 5 anos desta década impressionam pela rápida ascensão. Já são 171 novos negócios no bairro, 85% do que foi alcançado em toda a década passada. E os números de 2014 chamam ainda mais atenção. Este ano, está sendo o que já concentra o maior número de empresas abertas no local, já foram 38.

Os atributos geográficos do local, suas potencialidades, entre outros fatores, despertaram o interesse dos empresários, cada vez mais atentos às mudanças na cidade e às necessidades.

Crescimento comercial nos Cavaleiros

Anos Nº de novas empresas*
De 1990 a 1999 75
De 2000 a 2009 199
De 2010 a parte de 2014 171

* Empresas de comércio, comércio e serviço e, serviço. Dados da Secretaria Municipal de Fazenda de Macaé.

Por que eles escolheram os Cavaleiros? 

Luce Jane

Localização é um dos atributos mais importantes para quem deseja abrir um comércio e isso não é segredo para ninguém. Mas nem só da facilidade de acesso vive o negócio. Os administradores de estabelecimentos abertos no bairro estão de olho em muitas outras coisas.

Luce Jane Soares escolheu o bairro para instalar sua loja de decoração, a Inova & Renova,  porque acreditava ser aquela a localidade onde o seu público estava. “Já havia muitas lojas do segmento de decoração e lojas de planejados. Além disso, o acesso fácil aos bancos contou muito. Pra gente, o banco é imprescindível porque faz parte da rotina administrativa diária”, fala.

A Rua Joaquim da Silva Murteira é uma das perpendiculares à Avenida Atlântica e se destaca nos Cavaleiros. Somente nesta via existem 13 estabelecimentos, entre comércio e serviço. “Essa rua é muito movimentada e, para mim, isso é ótimo. Quero expandir sem sair daqui”, afirma Luce Jane.

erica drumondÉrica Rocha Drumond, proprietária da loja de roupas da AMIE, identificou no bairro o perfil do seu público-alvo. Segundo Érica, os clientes da loja são pessoas bem informadas sobre as tendências de moda e consumidores mais exigentes. “Enquanto no Centro um número muito maior de pessoas entra em uma loja, aqui entram 15. Mas é exatamente o público que eu quero atingir e grande parte das pessoas acaba levando alguma coisa pra casa”, conta. Ela  atende muitos clientes moradores da região sul da cidade e também funcionários de empresas offshore.

O cirurgião-dentista Anderson Siqueira, da Smile Center, lembra que a empresa foi uma das primeiras da área de odontologia a prestar serviços nos Cavaleiros. A clínica nasceu em 2005 com a proposta de atender estrangeiros e trabalhadores da indústria de óleo e gás, além de outros clientes. Para receber os pacientes de outras nacionalidades, a clínica oferece  atendimento bilíngue e serviço emergencial diferenciado.

Anderson, que já havia definido abrir a empresa no bairro, naquela época, ficou ainda mais empolgado quando encontrou o imóvel onde está até hoje, de frente para o mar. “Quando escolhi esse lugar pensei no ponto. É exatamente onde eu queria ficar. Esse ponto é uma propaganda em tempo integral. Isso porque as pessoas passam aqui para caminhar, fazer atividades, ir à praia e não tem como não ver a minha marca”, diz o cirurgião-dentista.

Kamilla Henrique Berbat Franco, dona da Escola de Educação Infantil Geração Criança, analisou algumas variáveis antes de fazer a opção. “É um  bairro de classe social alta, com muitos clientes que moram na região sul, que têm carência de serviços diferenciados, como o que eu ofereço. Por isso, acabei escolhendo abrir a escola  aqui”, relata.

erivelto leite macaéO sócio-proprietário do Bella Donna, Erivelto Leite, pensou na comodidade das clientes quando abriu o salão, há 2 anos. Funcionar nos Cavaleiros significava, para elas, mais facilidade de estacionamento e proximidade com a residência ou o trabalho. Ele conta que, desde a inauguração, a demanda aumentou muito. No início, havia dois profissionais e, atualmente, são nove cabeleireiros. Com o crescimento, a estrutura atual ficou pequena. “Estamos construindo um novo salão, na mesma rua, com quatro vezes mais espaço, aproximadamente. Pretendo oferecer outros serviços como pacote para noiva e estética corporal e facial”, fala Erivelto.

O laboratório Bioanálise também se fixou nos Cavaleiros, em 2008, como resposta ao anseio dos clientes. Rita Bersot se surpreendeu com o desempenho dessa unidade. “A demanda cresceu rápido demais e a estrutura já está ficando limitada. Por isso, estamos ampliando o laboratório. Vamos unir com a loja ao lado e a previsão é que tudo fique pronto até o fim do ano”, comenta empolgada.

 

Vantagens para o consumidor

rua joaquim da silva murteira

Um passeio a pé pelas ruas dos Cavaleiros revela o quanto é variada a gama de estabelecimentos existentes. De estética à saúde, da educação ao vestuário, dos restaurantes aos bancos, tem de tudo um pouco. Esse é, exatamente, um dos atrativos percebidos pelo consumidor e uma das válvulas que retroalimenta o comércio. Afinal, quem vai ao
banco aproveita a proximidade com o salão para fazer o cabelo, depois dá uma olhada nas novidades da moda e decoração, faz uma aula de aeróbica, dá uma passadinha na farmácia ou na padaria para levar o pão quentinho para casa e, uma coisa vai levando à outra.

Este é o caso da rotina de vida de Márcia Hartog, de 49 anos. Pelo menos duas vezes por semana ela vai ao cabeleireiro e também almoça nos restaurantes próximos. Para Márcia, é vantajoso resolver tudo no mesmo bairro. Isso sem contar na comodidade de morar perto, já que ela reside no Mirante da Lagoa. “Eu uso banco, salão, padaria, etc. Vou muito mais aos Cavaleiros do que ao Centro porque é mais rápido chegar lá e melhor para estacionar. Adianta muito a minha vida e ainda consigo achar vaga sem dificuldade”, relata Márcia.

O hábito de ir ao lugar e realizar várias atividades fez com que Márcia se aproximasse das pessoas que ali trabalham. “Já estou tão envolvida que acabo conhecendo todo mundo”, fala. As duas filhas dela, residentes no vetor sul de Macaé, também consomem nos Cavaleiros pelos mesmos motivos da mãe.

Além da comodidade, o engenheiro mecânico Ricardo Cardoso, de 56 anos, vê um diferencial. “O acesso é rápido, até porque, está no meu caminho de casa para o trabalho. Tenho facilidade para estacionar, isso sem falar que os serviços são de boa qualidade”, fala. Ele aproveita o horário de almoço e o tempo depois do trabalho para fazer compras no bairro e cuidar da saúde. “Frequento muito os restaurantes da região, a clínica do Anderson Siqueira e a padaria”, conta o engenheiro.

Os Cavaleiros também fazem parte do trajeto entre a casa e o trabalho da empresária Michele El Hage, de 28 anos. Em um trecho de dois quarteirões do bairro, ela faz quase tudo o que precisa. “Eu entro por aquele acesso perto do Banco do Brasil e estaciono o carro na rua do Salão Bella Donna (Rua Joaquim da Silva Murteira da). Dali, eu vou pra academia, passo na farmácia, uso os bancos e por aí vai. Nesse pedaço, eu resolvo 80% da minha rotina diária”, relata Michele.

O que ela percebeu como benefício enquanto consumidora, agora vai vivenciar como empresária. Michele fechou uma parceria com o cabeleireiro Erivelton Leite, proprietário do Bella Donna, para o novo espaço do salão.

As mudanças desde a década de 1970

FotoLuiz Cláudio Bittencourt (Dunga)

Quando o casal Ciro Lopes de Oliveira e Gilce Machado comprou uma casa nos Cavaleiros, na segunda metade da década de 1970, o point de Macaé era a Imbetiba. Lá, os jovens e famílias macaenses curtiam a praia e se divertiam. Ciro e Gilce são alguns dos moradores mais antigos do bairro e acompanharam todas estas mudanças ocorridas nos últimos 39 anos.

“Da nossa casa dava para ver o mar. A vegetação era rasteira e os Cavaleiros eram um grande descampado. Naquela época, havia poucas casas”, lembra Gilce. Hoje, cinco imóveis separam a residência deles da praia.

Urbanisticamente, as mudanças foram grandes. Gilce fala disso com propriedade porque é arquiteta. “Depois da chegada da Petrobras, o local foi se tornando mais populoso e na década de 1980 fizemos muitos projetos de residências aqui para atender às pessoas que vinham para Macaé trabalhar no mercado de petróleo”, lembra Gilce.

Porém, alguns trabalhadores acabaram sendo transferidos e, por isso, tiveram que vender seus imóveis. Entre os compradores estavam empresários que transformaram as casas em  pousadas, entre as décadas de 1980 e 1990, conforme conta o casal. A forte característica residencial está presente nas atividades econômicas, ainda hoje. “As casas viravam comércio e foi assim que o bairro acabou se transformando”, fala Ciro. A dificuldade de encontrar imóveis comerciais e lotes para construir é um dos motivadores para o fato.

Ciro e Gilce acreditam que tudo começou com os restaurantes. Em 1984, o Durval Restaurante já existia na orla. “Lembro que era em estilo praiano, um bar muito simples. Todos os outros restaurantes que abriram na orla também eram simples, naquela época. Depois, foram chegando as pousadas, os hotéis e aí começaram a vir os escritórios de advocacia, contabilidade, clínicas de estética e por aí vai”, fala Ciro.

Os bancos também contribuíram para o desenvolvimento comercial e começaram a se instalar nos anos 2000. O Itaú foi o primeiro banco a funcionar nos Cavaleiros, em 2005. Já o primeiro hotel a abrir as portas foi o Blue Tree Towers, também em 2005, que, na época, tinha o nome de San Diego Suítes.

ciro e gilce

Hoje, há muitos hotéis no lugar e outros tantos em construção. Por ser um morador antigo e empresário, Ciro é acionado por investidores que pretendem implantar empreendimentos em Macaé. Recentemente, ele recebeu um grupo de rede hoteleira internacional seis estrelas interessado em construir unidade na Praia dos Cavaleiros. “Essa cadeia de hotéis escolheu o Brasil para construir quatro hotéis. Escolheram São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Macaé”, afirma Ciro que guarda segredo sobre o nome da rede. Ele relata que o grupo de investidores ficou encantado com o bairro.

Moradores antigos como Ciro e Gilce são cada vez mais raros, nos Cavaleiros. Com a alta valorização imobiliária, muitos residentes encontraram na venda de seus imóveis uma excelente oportunidade de negócio e acabaram se mudando. Apesar das ofertas tentadoras, o casal permanece no bairro e preserva o patrimônio que construiu com bastante espaço e muita área verde, que se destaca entre as construções.

“Cavaleiros é um lugar agradável e tem a praia mais linda do Brasil. Nós amamos morar aqui. A vizinhança é boa e temos paz. Adaptamos-nos bem à evolução da cidade. Aqui, ainda é o melhor local para se morar em Macaé”, comenta Ciro.

O bairro

Os Cavaleiros têm 18 quarteirões, onde 19 ruas ligam a Avenida Atlântica à Nossa Senhora da Glória. Há certa confusão, muito comum, sobre quais são os limites territoriais. E muita gente desconhece que, em 2012, o bairro diminuiu de tamanho, conforme afirma o coordenador geral de posturas do município Mauro Pinho. Os Cavaleiros compreendem o território desde a Rua Lafaiete Vieira, próxima ao Glória Garden Suítes, até a Rua Itaipu onde fica o Blue Tree Towers, perto da restinga da Praia do Pecado. O local é classificado no Código de Urbanismo do Município como zona de uso diversificado. “Isso significa que possui características de uso residencial e econômico”, explica Mauro. Mas há restrições para alguns tipos de atividades. Oficinas de reparo como as mecânicas, armazéns para estocar produtos e indústrias são proibidos no bairro. Porém, sedes administrativas de empresas industriais são permitidas.

Com forte vocação gastronômica, os Cavaleiros abrigam restaurantes e bares com cardápios  desde a cozinha botequeira, até a culinária mais sofisticada. A rede hoteleira também marca presença com cinco hotéis e 11 pousadas. A alta valorização imobiliária é outra forte característica do lugar. Depois da reforma da orla, realizada este ano, o local está
ainda mais bonito.

Mesmo abrigando empresas de variados segmentos e com o avanço comercial, o bairro ainda é, predominantemente, residencial. “O que se pretende para os Cavaleiros é manter a área mista, para moradores e comércio”, relata Mauro Pinho

O gargalo da mobilidade

A cidade é um organismo vivo e toda mudança gera repercussões. Entre os consumidores, moradores e empresários que circulam pela localidade, a reclamação do trânsito intenso em horários de pico é frequente. A configuração viária não favorece a fluidez do tráfego, em determinados pontos. O bairro possui quatro entradas para quem segue pela Rodovia
Amaral Peixoto em direção ao Centro e três saídas. O trecho onde está o posto policial da rodovia, com duas entradas e uma saída para os Cavaleiros, muito próximas, é o ponto mais crítico.

Evandro Esteves“Enxergamos o trevo do Bairro da Glória como o maior problema. O governo está discutindo, junto com os empresários do polo gastronômico dos Cavaleiros, alterações no desenho do trevo do Bairro da Glória. Ali existe um gargalo enorme. Estamos debatendo a possibilidade de abrir a agulha da Avenida Nossa Senhora da Glória”, afirma o secretário de Mobilidade Urbana, Evandro Esteves. O secretário acredita ser possível resolver alguns problemas de mobilidade, mesmo que seja de forma paliativa, sem a necessidade de investir muitos recursos em obras estruturais.

Se alguns motoristas nos Cavaleiros ainda encontram vagas de estacionamento com facilidade, outros já reclamam que está ficando cada vez mais difícil parar próximo do lugar onde se deseja ir, principalmente, nos horários de pico. A Secretaria de Mobilidade Urbana não possui o registro do número de vagas regulamentadas na localidade porque não há demarcação.

Segundo Evandro Esteves, criar novas vagas nos Cavaleiros é inviável já que a maior parte das ruas transversais possui locais para estacionar nos dois lados das vias. “Esse problema é vivido em toda grande cidade. Vai ter que haver uma mudança de cultura do motorista de não parar tão perto do comércio. Quanto às vagas retiradas da orla, elas não serão repostas. Até porque, não há como fazermos isso”, explica o secretário.

Como em toda a cidade de Macaé, inúmeras transformações aconteceram nos Cavaleiros nas últimas três décadas. Isso impõe desafios para o poder público e toda a sociedade. O bairro, um dos mais charmosos cartões postais da cidade, precisa e merece a convivência harmônica entre moradores, comerciantes e frequentadores. Que boas mudanças venham fazer dos Cavaleiros um lugar ainda mais especial.

A Revista DiverCidades fez um levantamento pelas ruas do bairro e identificou as seguintes atividades de comércio e serviços:

Academia • Advocacia • Banco • Casa de festa • Clínica de Medicina ocupacional • Clínica de odontologia • Clínica de estética • Clínica médica • Clube • Colégio • Concessionária de veículos • Creche e escola infantil • Depilação • Empresa de treinamento • Escola de dança • Escola de idiomas • Escola de kitesurf • Escola de música • Estacionamento • Farmácia• Fisioterapia• Galeria de arte e cafeteria • Hortifruti • Hotel e pousada • Imobiliária • Laboratório •Locadora de veículos • Locadora de vídeo • Loja de colchão • Loja de decoração • Loja de luminárias • Loja de materiais elétricos • Loja de móveis e planejados • Loja de roupas • Loja de uniforme • Manicure • Oftalmologia • Padaria •Paisagismo • Podologia • Psicólogo • Restaurante e bar • Salão de beleza • Vigilância.

Comentar

Seu comentário será liberado pelo administrador. Informe-se sobre as regras de moderação de comentários no Termo de uso.
CAPTCHA
Resolva a soma abaixo por questões de segurança
1 + 4 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.