Notícias e Variedades de Macaé
Início » Vida » Bem-estar » O sling e a relação entre mãe e bebê vai ser tema de evento em Macaé

O sling e a relação entre mãe e bebê vai ser tema de evento em Macaé

qua, 07/10/2015 - 14:15 -- Leila Pinho
Créditos: 
Sandra Rodrigues
mães e bebês com sling

Ainda incomum no Brasil, o sling é um artifício que algumas mães usam para manter o bebê sempre pertinho, fortalecer os laços afetivos e ainda ajudar no desenvolvimento da criança. Nesse fim de semana, haverá o evento “Entrelaços, passos e abraços” aberto ao público no shopping Plaza Macaé no próximo sábado, dia 10 de outubro às 16h. O encontro tem o intuito de divulgar e informar as mães e interessados de Macaé, sobre o assunto e faz parte das comemorações da Semana Internacional de incentivo ao uso do Sling .

 

De acordo com a organizadora do evento e fisioterapeuta e consultora Babywearing, Letícia Pimentel Andrade, o sling é um carregador não estruturado que remete à vida intrauterina. “O bebê nasceu naquela condição, estando pertinho da mãe, sentindo o balanço dela. Então é muito confortável para eles e favorece o desenvolvimento das crianças. Eles são ergonômicos porque respeitam as condições do bebê, a curvatura e a anatomia da criança”, explica Letícia. mae com bebe nas costas com sling

 

O aspecto cultural e comportamental influencia muito na adesão ou não do sling. Segundo explica a fisioterapeuta, as mães que utilizam o sling, às vezes, precisam romper barreiras de preconceitos muito arraigados. “Nossos bebês são muito dependentes de nós, em comparação a outro mamíferos. Muitas mães pensam que não é bom dar colo demais ao bebê e que isso os deixa muito dependentes. Mas, acredito muito na criação por apego, por proximidade. Muito pelo contrário, quando a gente dá colo e tem mais contato com os bebês, eles crescem mais seguros e confiantes de si. Eles precisam muito da gente e saber que o pai e a mãe estão sempre por perto é que deixa eles mais seguros”, ressalta Letícia.

 

Há comunidades de culturas mais tradicionais como a indígena em que a utilização do carregador é habitual e faz parte da vida das pessoas. A enfermeira e designer de sobrancelhas, Luciana da Silva Rosa, de 37 anos, começou a usar o sling quando seu filho Caio tinha seis meses. “Sentia como se fosse a minha barriga. Eu vim de uma criação em que a gente acreditava que não é legal dar muito colo para a criança não fical mal acostumada. Depois que conheci o sling, não senti mais essa culpa de ficar com ele sempre coladinho a mim. Ele sente o calor do meu corpo, fica seguro e bem protegido”, conta Luciana. mãe e pai com bebe sling

 

Hoje, Caio tem 1 ano e três meses. A mãe usa menos o sling do que no início, mas ainda tem no carregador um aliado muito prático do dia a dia. Ela conta fazer várias tarefas de casa com a criança no carregador. “As pessoas as vezes me perguntam se não machuca e respondo que não, ele gosta e fica feliz da vida com o sling”, diz Luciana.

 

Mais informações podem ser obtidas na página do evento “Entrelaços, passos e abraços”  criada no facebook. 

 

Semana Internacional de incentivo ao uso do Sling

 

Como parte das comemorações da Semana Internacional de incentivo ao uso do Sling, foi realizada uma caminha slingueira no último domingo na orla da Praia dos Cavaleiros. O encontro reuniu mães, pais e seus filhos e serviu como oportunidade para integração das pessoas de Macaé que usam o sling e também para compartilhar experiências sobre o carregador e sobre a criação dos filhos.
 

Comentar

Seu comentário será liberado pelo administrador. Informe-se sobre as regras de moderação de comentários no Termo de uso.
CAPTCHA
Resolva a soma abaixo por questões de segurança
7 + 2 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.