Notícias e Variedades de Macaé
Início » Lazer » Cultura » Festival de Literatura prossegue até sábado com várias atrações

Festival de Literatura prossegue até sábado com várias atrações

sex, 24/11/2017 - 11:04 -- Divercidades
Créditos: 
Foto: Ana Chaffin
crianças na flicmac festival literário de macaé

A quinta-feira (23) foi marcada pela abertura oficial do I Festival de Literatura e Cultura de Macaé (Flicmac), na praia da Imbetiba. A emoção tomou conta da abertura do evento, quando parentes de Antonio Alvarez Parada, o Tonito, homenageado do evento, tiveram a oportunidade de relembrar a trajetória e momentos da vida do compositor macaense, que escreveu o hino da cidade de Macaé. Entre os familiares estiveram Cesário Parada (sobrinho e afilhado) e Lucita Alvarez de Oliveira (irmã). “Estamos orgulhosos pela homenagem. A felicidade é imensa! É uma honra, o nosso Antonio Alvarez Parada, ser homenageado em um Festival Literário de tanta importância.”

A musicalidade da abertura do evento ficou por conta das apresentações de 30 alunos integrantes da Corporação Musical do Ciep Municipal Leonel de Moura Brizola (Barra) e da banda da Secretaria de Educação. Na ocasião, o público teve a oportunidade de cantar e dançar. Entre os alunos músicos estiveram Jonatan França e Lucas Vasconcelos. “Somos apaixonados pela música. O clima deste Festival está muito legal”, contou.

O secretário de Educação, Guto Garcia, agradeceu o empenho de todos os profissionais da Educação. “O Flicmac foi pensado com muito carinho e cuidado. A programação é fruto de muito esforço. Agradeço à equipe da Superintendência de Educação Integrada e do Sindicato de Estabelecimentos Particulares de Ensino do Norte e Noroeste do Estado do Rio de Janeiro (Sinepe). Este Festival tem como foco principal a paixão pela leitura, em especial do aluno de Macaé”, ressaltou.

Também presente, a vice-presidente do Sinepe, Marisa Curvelo, frisou que o Festival é a prova da concretização de uma parceria que deu muito certo. “É uma honra podermos integrar um evento de tamanha importância. Com certeza esta edição será inesquecível. Parabenizamos a educação de Macaé pela iniciativa”, pontuou.

O público pode participar até sábado de debates, bate-papos e lançamento de livros com escritores, oficinas, palestras, shows de música e dança, além das atividades culturais que promovem a leitura. Variado e dinâmico, o Festival é direcionado a pessoas de todas as idades e tem em sua primeira edição a homenagem especial ao escritor e professor de química macaense, Antonio Alvarez Parada, considerado um dos grandes nomes da história do interior do Rio.

Café Literário

Oportunidade de aproximação com autores e público, com destaque para atividades ligadas à cultura, literatura e da educação, o Café Literário, foi um dos “points” do primeiro dia do Flicmac. No espaço, que funciona na 15ª Subseção da Ordem de Advogados do Brasil (OAB), são realizados bate-papos, debates, lançamento e apresentação de livros.

Na manhã desta quinta-feira, o escritor e historiador Marcelo Sampaio, apresentou a obra “Amálgama da Memória”. O autor, que também está à frente de uma tese de doutorado em história, participou da palestra “A formação da identidade cultural do Rio de Janeiro”, com foco na identidade negra, samba e história de Macaé e Campos.

Já o historiador Rubem Almeida e Cesário Parada (sobrinho de Alvarez Parada) participaram de um bate-papo especial sobre a vida do homenageado. “Ele foi uma pessoa extremamente especial. A vida dele foi marcada pelo profissionalismo e talento como professor, escritor, jornalista e poeta. Tricolor convicto e dono de uma Inteligência sem igual, Tonito merece todas as homenagens”, observaram.

De jeito leve, descontraído e poético, o grupo HistoriArte arrancou aplausos da plateia com a apresentação “Macaé em Cordel”, que retratou a história do município desde a fundação, até casos como a lenda de Motta Coqueiro e a instalação da Petrobras.

O Café Literário também foi local de homenagens e premiação dos ganhadores do Concurso Literário de Crônicas. O primeiro lugar foi de Rita de Cássia Rodrigues. A professora de Língua Portuguesa foi autora da crônica “Bruxas verdes inteiras ardem”. O texto destacou a importância da preservação da natureza. Em segundo lugar, a jornalista Simone Noronha, autora de “Violento”, que retrata um cãozinho morto numa procissão de santo, história retratada por sua avó que comoveu leitores e familiares da jornalista. O terceiro lugar ficou para Carlos Alberto dos Santos Soares, responsável por “Minotauro na Ilha do Aço”.

Realizado pela Universidade Livre, órgão da Secretaria Adjunta de Ensino Superior, vinculada à Secretaria Municipal de Educação, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura, o concurso foi realizado com o objetivo de incentivar autores macaenses a mostrar as suas obras inéditas, bem como oportunizar o surgimento de novos talentos literários.

Galpão

Livrarias e editoras estão participando do “Galpão Literário” com a exposição e vendas de livros para a população em geral. O local também conta com estandes com apresentação de programas e projetos em educação, considerados de sucesso na rede. Um dos destaques foi o projeto "Produzindo Autonomia" do Colégio Municipal Ancyra Gonçalves Pimentel. Na ocasião foram apresentadas e comercializadas as produções do projeto como sabão em barra, líquido e pastoso, além de essências e velas decorativas. O material é produzido através da reciclagem do óleo de cozinha, descartado e doado pela população.

O Galpão também conta com o trabalho que envolve a parceria do Sindicato de Estabelecimentos Particulares de Ensino do Norte e Noroeste do Estado do Rio de Janeiro (Sinepe). No local estão sendo destacados os projetos pedagógicos da educação, do setor particular. Um deles foi o Chá Literário do Colégio Alfa.

Flicmaczinha

A garotada está tendo a chance de curtir grupos de contadores de história da região e participar/apresentar danças, teatros, musicais e jograis na Flicmaczinha, espaço lúdico e colorido dedicado à garotada. Entre as escolas visitantes deste primeiro dia está a de Educação Infantil Anna Benedicta da Silva Santos. As alunas Karine da Cruz e Dafne Matos estavam pra lá de animadas. “Gostamos muito dos fantoches e dos contadores de histórias. Isso tudo é muito legal”, comentaram.

Até este sábado (25), o público terá a oportunidade de visitar e apreciar o Planetário Móvel 360° da empresa RPC Cultural. De forma interativa, os visitantes poderão apreciar os planetas e os movimentos celestes. O investimento será de R$10 para alunos da rede privada e R$3 para alunos da rede pública.

Informações da prefeitura de Macaé

Comentar

Seu comentário será liberado pelo administrador. Informe-se sobre as regras de moderação de comentários no Termo de uso.
CAPTCHA
Resolva a soma abaixo por questões de segurança
10 + 2 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.